sexta-feira, 27 de maio de 2011

SEQUÊNCIA DIDÁTICA! O QUE É?

As sequências didáticas são um conjunto de atividades ligadas entre si, planejadas para ensinar um conteúdo, etapa por etapa. Organizadas de acordo com os objetivos que o professor quer alcançar para a aprendizagem de seus alunos, elas envolvem atividades de aprendizagem e avaliação.
Ensinar, desenvolvendo Competências e Habilidades
A Sequência Didática:
v     Trabalha com os conhecimentos prévios dos alunos.
v     Permite a interação de conhecimentos.
v     Promove uma aprendizagem significativa.
Como ativar os conhecimentos prévios?
v     Oferecer materiais estimulantes.
v     Saber elaborar e interpretar situações-problema instigantes.
v     Possibilitar que os alunos teçam comentários e ponham em jogo tudo o que sabem.
As atividades de levantamento de conhecimentos prévios podem incluir:
v     Questões propostas.
v     Leitura de textos.
v    Leitura de imagens.
ALGUMAS SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS
Professora: Eliana Dias Machado
Gênero Textual: Fábulas
PÚBLICO ALVO: Alunos da 5ª série do Ensino Fundamental
OBJETIVO GERAL: Despertar o interesse pelo gênero textual fábula.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS: Com este projeto espera-se que o aluno:
  • Reconheça o gênero fábula e a situação de comunicação social em que é praticado;
  • Reconheça a estrutura da seqüência narrativa (situação inicial, conflito, resolução) e a relacione com a moral da fábula;
  • Desenvolva habilidades de produção criando personagens típicos de fábulas, utilizando o recurso da personificação;
  • Produza diálogos com a presença de conflitos e depois, fábulas inteiras;
JUSTIFICATIVA: A escolha do gênero fábula se deu pelo fato de se tratar de um gênero que geralmente é uma história curta, têm características marcantes, o que favorece a compreensão dos textos, o reconhecimento do gênero e a produção de uma fábula pelo o aluno.
METODOLOGIAS
I MÓDULO:
Inicialmente será apresentado aos alunos o projeto fábulas. Dizer– lhes que esse projeto será desenvolvido em 20 aulas e que essas aulas serão chamadas de oficinas. Os textos produzidos pelos alunos serão editados e expostos para a comunidade escolar. Feito isso, incentivar o aluno a fazer sua primeira produção textual. ( 4 aulas )  
II MÓDULO:
Mediante a primeira produção do aluno começam-se as oficinas.
Oficina 1: conversar com os alunos  sobre fábula , mostrando-lhe vários  textos de autores  diferentes . (2 aulas)
Oficina 2: Solicitar que os alunos pesquisem  algumas fábulas e que  as tragam para a sala de aula . Já em sala solicitar que cada um leia a fábula que mais gostou e que identifique a moral fazendo um comentário oral. (4 aulas)
Oficina 3: assistir ao filme “O cão e a raposa”, depois comentar a estrutura da sequência  narrativa,  situação  inicial, conflito, resolução  e criar uma moral para a história . (4 aulas)
Oficina 4: diante das informações adquiridas os alunos deverão partir para a segunda produção, tendo  sempre como  base a sua produção inicial . Após a segunda produção os alunos devolverão os textos ao professor para que este faça as observações necessárias quanto a estrutura e a regra de escrita. (3 aulas)
III  MÓDULO :
Produção final:
 Em último momento, depois de vencer todas as etapas é hora de confrontar o trabalho inicial do aluno com a auto-avaliação.
O aluno deverá observar e refazer sua produção utilizando todas as informações  adquiridas ao longo  das oficinas, (estruturar o texto com todos os elementos  característicos do gênero fábula e empregar corretamente a regra de escrita (3 aulas).                           
 Aqui algumas fábulas para o seu acervo!

A lebre e a tartaruga

 
A lebre vivia a se gabar de que era o mais veloz de todos os animais. Até o dia em que encontrou a tartaruga. – Eu tenho certeza de que, se apostarmos uma corrida, serei a vencedora – desafiou a tartaruga.
A lebre caiu na gargalhada.
– Uma corrida? Eu e você? Essa é boa!
– Por acaso você está com medo de perder? – perguntou a tartaruga.
– É mais fácil um leão cacarejar do que eu perder uma corrida para você – respondeu a lebre.
No dia seguinte a raposa foi escolhida para ser a juíza da prova. Bastou dar o sinal da largada para a lebre disparar na frente a toda velocidade. A tartaruga não se abalou e continuou na disputa. A lebre estava tão certa da vitória que resolveu tirar uma soneca.
"Se aquela molenga passar na minha frente, é só correr um pouco que eu a ultrapasso" – pensou.
A lebre dormiu tanto que não percebeu quando a tartaruga, em sua marcha vagarosa e constante, passou. Quando acordou, continuou a correr com ares de vencedora. Mas, para sua surpresa, a tartaruga, que não descansara um só minuto, cruzou a linha de chegada em primeiro lugar.
Desse dia em diante, a lebre tornou-se o alvo das chacotas da floresta.
Quando dizia que era o animal mais veloz, todos lembravam-na de uma certa tartaruga...

Moral: Quem segue devagar e com constância sempre chega na frente.

A cigarra e as formigas

 
Num belo dia de inverno as formigas estavam tendo o maior trabalho para secar suas reservas de trigo. Depois de uma chuvarada, os grãos tinham ficado completamente molhados. De repente aparece uma cigarra:
- Por favor, formiguinhas, me dêem um pouco de trigo! Estou com uma fome danada, acho que vou morrer.
As formigas pararam de trabalhar, coisa que era contra os princípios delas, e perguntaram:
- Mas por quê? O que você fez durante o verão? Por acaso não se lembrou de guardar comida para o inverno?
- Para falar a verdade, não tive tempo – respondeu a cigarra. – Passei o verão cantando!
- Bom... Se você passou o verão cantando, que tal passar o inverno dançando? – disseram as formigas, e voltaram para o trabalho dando risada.

Moral: Os preguiçosos colhem o que merecem.

A raposa e as uvas

 Morta de fome, uma raposa foi até um vinhedo sabendo que ia encontrar muita uva. A safra tinha sido excelente. Ao ver a parreira carregada de cachos enormes, a raposa lambeu os beiços. Só que sua alegria durou pouco: por mais que tentasse, não conseguia alcançar as uvas. Por fim, cansada de tantos esforços inúteis, resolveu ir embora, dizendo:
- Por mim, quem quiser essas uvas pode levar. Estão verdes, estão azedas, não me servem. Se alguém me desse essas uvas eu não comeria.

Moral: Desprezar o que não se consegue conquistar é fácil.

O lobo e a cabra
Um lobo viu uma cabra pastando em cima de um rochedo escarpado e, como não tinha condições de subir até lá, resolveu convencer a cabra a vir mais para baixo.
– Minha senhora, que perigo! – disse ele numa voz amistosa. – Não seja imprudente, desça daí! Aqui embaixo está cheio de comida, uma comida muito mais gostosa.
Mas a cabra conhecia os truques do esperto lobo.
– Para o senhor, tanto faz se a relva que eu como é boa ou ruim! O que o senhor quer é me comer!
 
Moral: Cuidado quando um inimigo dá um conselho amigo.

A Tartaruga e a Águia

A tartaruga passava o tempo a lamentar-se por ser lenta e desajeitada. Como gostava de fazer comparações, adorava a beleza e a ligeireza com que se moviam as aves. Não se conformava com a sua sorte e chegava a ficar muito triste.
- Que chatice ter que me arrastar pelo solo, passo a passo e com esforço! Ah! Se eu pudesse voar, nem que fosse apenas uma vez! dizia ele repetidamente, dia após dia.
Finalmente, num dia de outono, conseguiu convencer a águia a levá-la para um passeio pelas alturas. Suavemente e com grande majestade, a águia e a tartaruga elevaram-se no céu, naquela tarde. O animalzinho transbordava de felicidade, ao ver lá embaixo, tão longe, a terra e seus habitantes.
- Ah, que maravilha! Como estou feliz! Que inveja não devem sentir as outras tartarugas vendo-me voar tão alto! Realmente, sou uma tartaruga única! exclamava ela, com a voz tremida pela emoção.
Mas tanto se cansou a águia de ouvir seus vaidosos argumentos, que decidiu soltá-la. A orgulhosa tartaruga caiu como uma pedra, desde milhares de metros de altura, desfazendo-se em cacos ao chegar no chão.
Algumas tartarugas que viram que viram sua vizinha cair, exclamaram cheias de pena:
- Pobrezinha! Estava tão segura aqui em baixo, na terra, e teve que procurar as alturas para perder-se.

Moral: Dura lição para quem se empenha em ir contra sua própria natureza. Não é melhor cada um conformar-se com aquilo que é?

O galo e a raposa

O galo cacarejava em cima de uma árvore. Vendo-o ali, a raposa tratou de bolar uma estratégia para que ele descesse e fosse o prato principal de seu almoço.
-Você já ficou sabendo da grande novidade, galo? – perguntou a raposa.
-Não. Que novidade é essa?
-Acaba de ser assinada uma proclamação de paz entre todos os bichos da terra, da água e do ar. De hoje em diante, ninguém persegue mais ninguém. No reino animal haverá apenas paz, harmonia e amor.
-Isso parece inacreditável! – comentou o galo.
-Vamos, desça da árvore que eu lhe darei mais detalhes sobre o assunto – disse a raposa.
O galo, que de bobo não tinha nada, desconfiou que tudo não passava de um estratagema da raposa. Então, fingiu estar vendo alguém se aproximando.
-Quem vem lá? Quem vem lá? – perguntou a raposa curiosa.
-Uma matilha de cães de caça – respondeu o galo.
-Bem...nesse caso é melhor eu me apressar – desculpou-se a raposa.
-O que é isso, raposa? Você está com medo? Se a tal proclamação está mesmo em vigor, não há nada a temer. Os cães de caça não vão atacá-la como costumava fazer.
-Talvez eles ainda não saibam da proclamação. Adeusinho!
E lá se foi a raposa, com toda a pressa, em busca de uma outra presa para o seu almoço.

Moral: é preciso ter cuidado com amizades repentinas.

Os viajantes e o urso

Um dia dois viajantes deram de cara com um urso. O primeiro se salvou escalando uma árvore, mas o outro, sabendo que não ia conseguir vencer sozinho o urso, se jogou no chão e fingiu-se de morto. O urso se aproximou dele e começou a cheirar as orelhas do homem, mas, convencido de que estava morto, foi embora. O amigo começou a descer da árvore e perguntou:
-O que o urso estava cochichando em seu ouvido?
-Ora, ele só me disse para pensar duas vezes antes de sair por aí viajando com gente que abandona os amigos na hora do perigo.
Moral: a desgraça põe à prova a sinceridade da amizade.

A reunião geral dos ratos

Uma vez os ratos, que viviam com medo de um gato, resolveram fazer uma reunião para encontrar um jeito de acabar com aquele eterno transtorno. Muitos planos foram discutidos e abandonados. No fim um rato jovem levantou-se e deu a idéia de pendurar uma sineta no pescoço do gato; assim, sempre que o gato chegasse perto eles ouviriam a sineta e poderiam fugir correndo. Todo mundo bateu palmas: o problema estava resolvido. Vendo aquilo, um rato velho que tinha ficado o tempo todo calado levantou-se de seu canto. O rato falou que o plano era muito inteligente, que com toda certeza as preocupações deles tinham chegado ao fim. Só faltava uma coisa: quem ia pendurar a sineta no pescoço do gato?
Moral: Inventar é uma coisa, fazer é outra.
 
Bom trabalho!


SEQUÊNCIA DIDÁTICA
Professora: Dália Bertuollo
Gênero Textual: Artigo de Opinião
Objetivos:
·        Ler e aprender as características e estrutura do gênero “artigo de opinião”.
·        Desenvolver no aluno a criatividade e a capacidade de argumentar.
·        Identificar em textos trabalhados a tese do articulista, argumentos favoráveis à tese, contra-argumentos.
·        Produzir textos, artigo de opinião com coerência.
Conteúdos:
v     Leitura e análise de textos;
v     Elementos coesivos;
v     Classe de palavras;
v     Produção textual;
Público alvo
    v     8ª série
Desenvolvimento
1ª etapa
v     Produção inicial
2ª etapa
v     Apresentação de vários textos relativos ao gênero.
v     Debate.
3ª etapa
v     Produção final de textos relativos ao gênero.
v     Correção dos textos, auto-correção.
4ª etapa
v     Reescrita e comparação dos textos
FIM

SEQUÊNCIA DIDÁTICA
Professora: Luzia Santana
Gênero Textual: Dissertação
Objetivos:
  • Ler e compreender textos dissertativos;
  • Suscitar discussão de temas atuais e polêmicos a fim de instigar nos alunos o senso crítico;
  • Conscientizar os alunos sobre as mudanças ocorridas no corpo e na mente durante a adolescência;
  • Despertar nos alunos a necessidade que temos de analisar nossas decisões em qualquer fase da vida, principalmente na adolescência;
  • Defender seu ponto de vista baseado em textos científicos;
  • Produzir textos dissertativos;
Conteúdos:
  • Leitura e interpretação
  • Linguagem oral e escrita
  • Complementos verbais
  • Termos integrantes da oração
  • Vocativo
  • Produção textual
Público Alvo:  7ª série
Desenvolvimento
1ª etapa
Ø      Comentário sobre o gênero textual, “Texto dissertativo” e produção inicial.
2ª etapa
Ø      Apresentação de textos dissertativos envolvendo o tema em debate.

3ª etapa
Ø      Dividir as turmas em grupos de doze alunos par montar uma peça teatral, cada grupo com um tema:
*      Drogas na adolescência;
*      Namoro na adolescência;
*      Gravidez na adolescência;
*      Os problemas enfrentados por alunos e professores nas escolas atuais.

4ª etapa
Ø      Produção em sala de aula de textos dissertativos, sobre os temas acima citados e logo em seguida a correção.

FIM

SEQUÊNCIA DIDÁTICA
Professoras: Raquel Sanches e Célia Lobato
Gênero Textual: Poema
Objetivos:
Ø      Ler e compreender o gênero;
Ø      Incentivar o aluno à leitura:
Ø      Produzir textos coerentes.

Conteúdos:
Ø      Leitura e interpretação;
Ø      Elementos coerentes;
Ø      Classes de palavras;
Ø      Ordem direta e indireta do sujeito na frase;
Ø      Produção textual.

Público Alvo:
Ø      6ª série

Desenvolvimento
Ø      1ª etapa
Comentário sobre o gênero textual “poema”. E produção inicial.
Ø      2ª etapa
Apresentação de poemas de vários autores para observação da estrutura dos poemas.
Ø      3ª etapa
Cada aluno ficou responsável para observar os momentos vividos fora de sala de aula e ao retornar, organizar e sistematizar as descobertas.
Ø      4ª etapa
Produção final do gênero textual e logo após a correção.

FIM
SEQUÊNCIA DIDÁTICA
Professoras: Maria Soledade e Maria Josimar
Gênero Textual: Carta
I MÓDULO
  • Estudo do gênero
  • Apresentação do projeto
  • Primeira produção
  • Representação do gênero
  • Elementos estruturais do gênero
  • Interlocução
  • Linguagem informal
II MÓDULO
Oficinas:
v     Oficina 1- “Filme Central do Brasil”
(Função social) comentar o filme.  -4 aulas
v     Oficina 2- Mostrar outros modelos de carta. -2 aulas

v     O ficina 3- Convidar uma pessoa idosa para relatar qual a importância das carta no seu tempo e como ela se dava. -2 aulas

v     Oficina 4- Interlocução (diálogo improvisado) – 2 aulas

v     Oficina 5- Utilizar uma carta bem escrita para trabalhar a linguagem formal. – 2 aulas

v     Oficina 6- Apresentar uma carta sem os elemento estruturais – 2 aulas

v     Oficina 7- Preparar o envelope para colocar a carta (dados do envelope).

v     Oficina 8- Auto-avaliação – 2 aulas

v     Oficina 9- Produção final – 2 aulas

v     Oficina 10- Auto-correção – 4 aulas

FIM
SEQUÊNCIA DIDÁTICA
Professor: Laurinei Assunção
Gênero Textual: Notícia
Objetivo:
  • Ler e compreender o Gênero;
  • Estimular o aluno para a leitura do dia a dia;
  • Produzir com eficiência;
Conteúdos:
v     Leitura e interpretação;
v     Elementos estruturais da notícia;
v     Tipos de discurso;
v     Funções da linguagem;
v     Sinais de Pontuação;
v     Produção textual;

Público alvo:
3ª e 4ª EJA
Tempo: 20 horas aulas
Desenvolvimento
1ª etapa
Dividir a turma em grupos para um comentário sobre o gênero e solicitar a primeira produção.
2ª etapa
O professor se responsabilizará pela verificação dos problemas apresentados pelos alunos e então aplicará as oficinas para cada segmento da notícia que deverá seguir a seguinte ordem:
Primeiro: Lead- Cada equipe deverá trazer uma notícia escrita, para responder às perguntas que compõem o lead. Onde? Como? Porquê? O quê? Quando? Quem?
Segundo: Título- Antes  do título, é necessário que se trabalhe figuras de linguagem, pois elas se fazem muito presentes nesse elemento, em seguida promover um concurso do melhor título.
Terceiro: Olho- O professor deverá mostrar uma notícia com olho. Depois recolhe as notícias, troque-as, retira o olho e pede para os alunos construírem outro olho.
Quarto: Linguagem- O professor deverá trazer textos de diversos gêneros e comparar com outros, por exemplo, uma notícia com um poema, no que se referir a linguagem, poderá ser oralmente.
Quinto: Palavra-Chave- Entregar para cada grupo uma notícia sem o tal elemento e pedir para seus alunos sugestões, isso também pode acontecer oralmente.
Sexto: Fotos- Cada grupo deverá apresentar fotos de acontecimentos relacionados aos vários temas, como: esporte, saúde, educação, segurança etc...
Sétimo: Sistematização- acontece por meio de uma atividade escrita.
3ª etapa
Finalmente a produção final, logo depois, o professor deve fazer juntamente com os alunos as correções necessárias a cada produção.
4ª etapa
Culminância é o momento mais prazeroso, porque é quando você vai expor o trabalho que você e seus alunos realizaram com esforço, lutas e dedicação.
 FIM

5 comentários:

  1. Gostei muito das sugestões. Obrigada!!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom . Era o que eu estava precisando, me ajudou muuuuuuito!!!!

    ResponderExcluir
  3. gostei muito ,me ajudou bastante no meu trabalho de estágio,parabéns!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Obrigada! Amei! me ajudou bastante, com certeza meu trabalho com a sequencia didática ficará bem mais eficiente.

    ResponderExcluir